Ressurreição: o amor explicou tudo

Caríssimos: que Jesus guarde os meus filhos e filhas paroquianos!

Pela graça de Deus se aproximam do nosso coração filial a maior de toda experiência cristã: o mistério da paixão, morte e ressurreição do Senhor. Por isso, nesses últimos dias quaresmais, nos aproximemos da Virgem Maria. Sua via sacra nos passos do Mestre nos conduzirá a uma confiança plena no Cristo Ressuscitado, pois atentos aos ensinamentos da Mãe dolorosa faremos tudo que seu Filho disser para que corajosos morramos com ele e, convertidos, vivamos uma vida nova n’Ele.

O efeito que a Semana Santa produz em cada fiel parte da experiência do silêncio da Sexta-feira da Paixão que jamais é apenas uma inquietação para aqueles que não costumam silenciar. Mas uma oportunidade única de contemplar com olhos fixos o Crucificado: àquele em que Deus revelou seu rosto de misericórdia num ato supremo de amor.

Inquieta-nos porque este rosto muitas vezes desfigurado continua presente em nossa sociedade e cada vez que ressoa o gemido dos irmãos, sentimos Cristo Crucificado corrigindo os equívocos no coração da sociedade por meio do amor que exige fazer da vida um verdadeiro dom, que pressupõe ultrapassar os limites e viver o altruísmo como sinal que pertencemos ao Ressuscitado.

Por isso as primícias das relações humanas não são normas e leis mas deve ser sempre o amor. É o amor que se apresenta sem medida, é ele o objetivo e, só ele que arrancando-nos do vazio existencial nos dá todo sentido à vida, de toda a razão para se viver. Só o amor ultrapassa as impossibilidades, quebra paradigmas e nos arrebata do caminho em direções equivocadas desafiando nossa compreensão limitada.

Instigados como discípulos experimentados no amor, somos impelidos a um compromisso insubstituível de testemunhar com a vida o que compreendemos no horizonte da fé: a paixão, morte e ressurreição de Cristo, fato irrepetível e inigualável, a sua condição de Filho de Deus – Deus e homem, como fonte inesgotável do amor.

Desejo que a experiência do silêncio atraente da Sexta-feira Santa fecunde os corações e encoraje a todos a fixar o olhar n’Ele, o Crucificado, para que impelidos, a partir do amor, encontrem o Ressuscitado e ecoem a lógica pascal em que ” o amor explicou tudo”.

Com todo o afeto, abençoa-vos, Vosso Padre, Pe. Efferson Andrade

FacebookTwitterWhatsApp