FECUNDADOS PELA PALAVRA

Caríssimos: que Jesus guarde os meus filhos e filhas paroquianos!

Em todos os anos o mês de setembro nos faz refletir sobre a importância da Sagrada Escritura como Palavra de Deus viva no meio de nós. Assim, as temáticas anuais nos levam a refletir sobre a fecundidade da Palavra em nossas comunidades, lares e sobretudo, em nosso coração. Mas também contrapõe um sistema linguísticos – a fragilidade de nossas palavras emitidas por experiências superficiais que revelam a gravidade na condição ética e moral da pessoa humana.

Em tempos onde as palavras se perdem por ares porque justamente não se almeja raízes fecundas da verdade, a sociedade se impacta em múltiplas notícias e espalha inúmeras inverdades porque todos emitem seus próprios juízos sem o fundamento e conhecimento adequado da realidade e surge no ser humano a capacidade de sentar-se em cadeiras de autoridades para esbravejar como perfeita mensagem real, prejudicando a promoção da justiça e o bem comum da sociedade.

Todas as vezes que as pessoas desprovidas de moralidade não caem em si acabam permitindo o uso de palavras em modos superficiais comprometendo a possibilidade do horizonte dialogal e entrando em atitudes medíocres de quem se fecha pra vangloriar as ideias e tornar a sociedade empobrecida. Atitudes assim dão lugar ao indiferentismo e foge do exercício da cidadania. Pior ainda quando esses atos invadem às relações familiares, profissionais e cotidianas norteadas por esses parâmetros da superficialidade.

Hoje, frente a turbulência de tantas manipulações que levam a interesses questionáveis precisamos de cristãos que vivam na sociedade com clarividência ousada de proclamar sob o alicerce da verdade a liberdade da palavra que fecunda corações para ser de fato envolvida como força significativa na construção da sociedade justa e solidária.

A Semana Bíblica traduz que fomos plasmados à imagem e semelhança de Deus, que é amor. O ato de criar só pode ser ato de amor. Só compreende esse mistério quem rompe com as inverdades das palavras supérfluas e acolhe a verdade do Verbo feito Palavra, Cristo Jesus, sob à docilidade do Espirito Santo. Precisamos na Semana Bíblica buscar um caminho que satisfaz infinitamente o coração humano e desvela o amor pois “nós amamos porque Deus primeiro nos amou” (1Jo 4,19).

A Semana Bíblica é a oportunidade salutar em que nossas comunidades em suas pastorais descobrem, a partir da reflexão bíblica que Deus estabelece, por sua Palavra, o diálogo com seus filhos e filhas, e, em sua Palavra, fala ao coração de cada pessoa e espera no silêncio, a resposta de cada um.

Deixemo-nos então ser revestidos da única Palavra que nos qualifica na atitude de falar e de calar-se na sociedade. Revestidos daquela capacidade de falar o que é preciso, de ser livres de inverdades, de ser coerentes com as convicções almejando objetivos nobres. Deste modo, experimentando verdadeiramente a Palavra na Semana Bíblica iluminaremos a humanidade na correção de rumos, no alcance de novas respostas, possíveis a partir do respeito e da fidelidade ao Evangelho. Que a fecundidade da Semana Bíblica nos torne mais conscientes a respeito da própria missão e identidade, inspirados pela força da Palavra de Deus.

Com todo afeto, abençoa-vos, vosso Padre, Pe. Efferson Andrade

FacebookTwitterWhatsApp